BLOG

Startup investida pelo BiotechTown estabelece parceria com um dos maiores hospitais do mundo

Startup investida pelo BiotechTown estabelece parceria com um dos maiores hospitais do mundo

Em outubro passado a startup Celluris estabeleceu uma parceria com o Sheba Medical Center, eleito por dois anos consecutivos o melhor hospital do Oriente Médio e um dos dez melhores do mundo pela revista norte-americana Newsweek. O Sheba, situado em Israel, é referência mundial em ciências médicas e inovação biotecnológica.

Já a Celluris, acelerada pelo BiotechTown na 2ª edição do Programa de Desenvolvimento de Negócios,  é a primeira empresa na América Latina a desenvolver tratamento personalizado para pacientes oncológicos por meio da imunoterapia por CAR-T. Este método programa as células do próprio paciente para reconhecerem o tumor como um alvo, combatendo-o de forma precisa.

Sheba Medical Center, eleito um melhores hospitais do mundo

Sheba Medical Center, eleito um dos melhores hospitais do mundo

 

A Parceria

O construto (um conceito científico teórico que constrói um paralelo entre a idealização e a prática) proprietário da Celluris chamou a atenção da equipe do Sheba, que também desenvolve um trabalho de imunoterapia por CAR-T. A troca de experiências se iniciou ainda em 2018, mas somente no início de 2020 o contato se intensificou. Desta forma, no último mês, as empresas firmaram um acordo com o objetivo de fortalecer o co-desenvolvimento.

Além de todo o know-how repassado entre as equipes, a parceria prevê que a Celluris possa replicar no Brasil a metodologia desenvolvida pelo Sheba e chegar mais rapidamente a um teste clínico. Enquanto o hospital israelense utilizará a tecnologia do construto da startup, que possibilita o tratamento para tumores sólidos e o controle de possíveis toxicidades.

Patrícia Rozenchan, Diretora Executiva da Celluris, acredita que a parceria é mutuamente benéfica e possibilitará à startup atingir os seus milestones, tanto em curto quanto em longo prazo.

A ideia é fazer um estudo comparativo utilizando o construto que eles usam lá, fazendo do mesmo jeito aqui. Hoje, quem faz em menos tempo gasta entre 15 a 20 dias, enquanto eles fazem este procedimento em cerca de 9 ou 10 dias. Para o paciente em tratamento de câncer, todo dia conta. Será uma ótima vantagem no longo prazo”, declara Patrícia.

Patrícia Rozenchan, Diretora Executiva da Celluris

Patrícia Rozenchan, Diretora Executiva da Celluris

 

Outras frentes de pesquisa

O acordo de longo termo dá margens para que a Celluris e o Sheba explorem outros assuntos neste âmbito de parceria, como o tratamento contra a Covid-19 que a startup está desenvolvendo, chamado Rfuvir.

A tecnologia da Celluris é capaz de inibir a proteína do novo coronavírus que é responsável por sua entrada na célula do hospedeiro. Assim, novas partículas virais não são formadas ou deixam de ser funcionais. Em etapa de desenvolvimento, o Rfuvir pode ser acelerado pela parceria com o Sheba Medical Center.

Quer conhecer inovações da Celluris e de outras startups investidas pelo BiotechTown? Acesse a nossa página de startups.

 

Compartilhe este post:
voltar